[Filme] [Resenha] 365 DNI (365 dias)


Crítica | 365 days (365 dni - 365 dias) • Mundo Hype

Sinopse: Uma executiva de espírito livre vive um relacionamento sem graça até se tornar refém de um chefe da máfia, que estabelece um prazo para que ela se apaixone por ele.




Direção: Barbara Bialowas

Elenco: Michele Morrone, Anna Maria Sieklucka
Duração: 1h e 54 Min
País: Polônia Ano: 2020 





Senhoras e senhores, tirem as crianças da sala porque a temperatura vai subir.


 365 DNI estreou na Netflix e o que posso dizer? Não é uma história de amor das mais belas, mas promete muitas cenas de tirar o fôlego.
  Nessa obra classificada como o primeiro filme hot polonês, vindo de uma adaptação do livro escrito por Blanka Lipińska, 365 DNI nos apresenta Laura Biel e Massimo Torricelli.
 Laura é uma jovem executiva, diretora de vendas de um hotel de luxo. Logo em um primeiro momento, em uma reunião com homens que tentam intimidá-la, a Srta. Biel mostra que sabe exatamente como se impor. Uma mulher forte e destemida, Laura aparentemente tem uma vida profissional de sucesso, enquanto sua vida privada não anda tão bem assim.
 Em uma tentativa de dar mais uma chance para o namoro, Laura viaja par comemorar seu aniversário com seus amigos e Martin, seu namorado e é lá que ela tem seu primeiro encontro real com Massimo.
 Logo no começo do filme, sabemos que Massimo já tinha se encantado por Laura a distância e aparentemente não conseguiu esquecê-la. Sendo um total fora da lei, Massimo assumiu os negócio após a morte de seu pai e agora é um traficante conhecido e temido, sendo acostumado a ter tudo que quer. E bem... Ele quer Laura.
 Decidido a tê-la, Massimo então sequestra a jovem e diz para ela que a intenção dele é que ela se apaixone por ele em 365 dias, e caso isso não aconteça, ele a deixará partir no dia do seu aniversário.
 Mesmo que de início Laura recuse, você não vê nela um desespero de alguém que acaba de ser sequestrada.

REPELIS} 365 Days / 365 DNI 2020 | Ver Online | Descargar Gratis.mp4
(Cena em que ela observa seu sequestrador, um pouco depois do sequestro.)

 Um pouco mais à frente no filme, descobrimos que enquanto não tinha Laura, Massimo teve um relacionamento com uma outra mulher que se ressente e Laura parece querer marcar presença, demonstrando até mesmo um certo ciúmes.
 Vi muitas pessoas julgando as atitudes do Massimo por ele ser um (ok que é errado) traficante, mas não vi muitas pessoas colocando Laura em uma lente de aumento.
 Por mais que exista uma síndrome que teria como categoriza-la (vi algumas pessoas falando em síndrome de estolcomo), em momento nenhum ela parece se sentir amedrontada. Pelo contrário... Você vê uma áurea de curiosidade, até mesmo um pouco de desejo e em muitos momentos ela provoca Massimo ao extremo... O que me levou em alguns momentos a questionar a sanidade dela.
 Por favor, vamos lá você se sentiria confortável de simplesmente se exibir para o seu sequestrador em um banho, por exemplo? De dar uma conferida nos documentos dele se não tivesse nenhuma intenção de ceder? Lembrando, o rapaz não esconde que é perigoso, mas ela que é a “vítima” não parece se incomodar com isso.
 Tirando duas vezes que ela tenta “fugir” (uma delas após estar fazendo compras com ele e outra bem após um episódio íntimo entre os dois), Laura parece considerar Massimo um desafio.

365 dni filme - Veja onde assistir online
(Observe essa cena de quando ela ainda está super não à vontade com seu sequetrador.)

 Vi muitas pessoas dizendo que o filme trata de um relacionamento abusivo, mas tirando o fato de ele ser um traficante, não vi muita diferença entre ele e o Christian Grey.
 Os dois são possessivos, mas Massimo é menos burocrático e não apresenta um contrato para Laura. E Laura tem muito mais ousadia do que Anastasia.
 Obviamente, ser sequestrada e ser posta em uma posição da de Laura não é algo romântico, mas acho que eu botaria mais fé nessa parte de relacionamento abusivo se visse isso na interpretação, o que não foi o caso. Pelo contrário, Laura se mostra receptiva a fazer exigências e parece entrar no jogo da sedução.
 A química durante as cenas íntimas do casal, são de quebrar o termômetro de tão quentes, até mesmo quando o ato ainda não é consumado.
 Teve alguns momentos que fiquei na dúvida se realmente não tinha nada real ali, porque JESUS. Hahaha
 365 DNI deixa “50 tons de cinza” no chinelo quanto a sensualidade e intensidade.
 Michele Morrone e Anna Maria Sieklucka dão um show de deixar qualquer pessoa que esteja vendo o filme de queixo caído.

Esse tem futuro! "Sapateiro gato da Tijuca" faz ensaio sensual ...

 Essa é a primeira adaptação de dos três livros escritos por Blanka Lipińska e promete trazer muita polêmica por aí, e por isso eu gostaria de saber: Vocês assistiram? Qual a opinião de vocês sobre esse tipo de obra?

 Apenas para deixarmos claro, nós do Garotas Devorando Livros somos totalmente contra qualquer tipo de violência contra a mulher, qualquer incentivo ao tráfico e qualquer ideia de culpar vítimas de abuso. Estamos apenas analisando uma obra cinematográfica com base na interpretação de seus atores, sem ter a intenção de romantizar qualquer ato abusivo.

33 comentários

  1. Finalmente uma avaliação sã. Deixa a tarada ter o bad boy que ela merece hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! E sim, deixem a moça ser feliz. Hahaha

      Excluir
  2. Que contraditório, mas em obras desse gênero prefiro mil vezes o livro. Não gostei muito dessa protagonista, e eu sou louca por ler relacionamentos abusivos e romances hot, mas sei lá... Esse dai não conseguiu chamar a minha atenção não.
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Melissa! Sim, a construção ficou bem confusa. Vou começar a ler os livros para ver se é um pouco mais esclarecido quais os problemas que a Laura tem.

      Obrigada pela visita!

      Excluir


  3. Não gosto de ler relacionamentos abusivos, e não leio romances hot, nem assisto, simplesmente é um gênero que não me atrai, a não ser que tenha algo de fantasia, aiii pode ser que me chame a atenção. Essa dica acho que deixo passar.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ivy!
      Obrigada pela visita! As histórias com fantasia são realmente melhores, né? Hahaha

      Beijos!

      Excluir
  4. Oi Vanessa!

    Menina eu vi alguns comentários sobre esse filme no twitter e agora lendo sua opinião eu quero passar bem longe dele! Sinceramente INDEPENDENTE da protagonista estar ou não provocando o Massino, não há nem motivos para julga-la porque o único errado é ele que sequestrou ela! kkkkkkkkk

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alisson!
      Menino, ela é sequestrada de Taubaté. Hahahahaha
      Brincadeiras a parte, a única coisa que salva o filme é a trilha sonora e as cenas mais quentes mesmo. Quanto mais você analisa a história, menos sentido faz.

      Obrigada pela visita.
      Obrigada pela visita!

      Excluir
  5. Olá Vanessa, tudo bem? Eu não sou fã de livros hots e não li esse livro ou assisti a adaptação que saiu pela Netflix (não pretendo fazer isso também)" mas, tenho que concordar com seu ponto de vista, uma mulher sequestrada faria de tudo para fugir DE VERDADE! E pelas pouquissimas cenas que vi na netflix, ela não parece ter sido sequestrada e sim, parece estar muitissimo interessada no protagonista. Esse livro gerou uma discussão enorme no clube literário que participo, várias garotas dizendo que ela tem sindrome de estocolmo mas, não parece ter dado tempo para essa sindrome se desenvolver na moça, acho que ela está cansada do atual relacionamento e está se divertindo com o "sequestrador".

    Viviane Almeida
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Viviane!
      Exatamente! Eu até cheguei a pesquisar sobre síndrome do estocolmo e costuma acontecer quando a pessoa é submetida a um tempo prolongado de intimidação. Acredito que essa síndrome você observa com o filme da Natascha Kampusch, por exemplo. Ela passou 10 anos na mão do sequestrador e parece que sente uma certa pena quado fala sobre ele. Totalmente diferente da visão que passaram em 365. É apenas um filme hot, com um cenário polêmico, mas que no final mostra dois adultos meio desequilibrados mesmo. Hahaha

      Excluir
  6. Oi Vanessa.

    Estou lendo algumas opiniões sobre o filme e gostei bastante da crítica porque tem certas situações que na vida real não concordo, mas como é um filme e adaptação do livro eu relevo. Eu não li o livro mas vou tentar assistir o filme no final de semana. Obrigada pela dica.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kênia!
      Assista sim e traga sua opinião pra gente depois!

      Obrigada pela visita.

      Excluir
  7. Olá, tudo bem? Sensata, assino embaixo!! As pessoas só estão olhando o lado do relacionamento abusivo como se fosse o fim do mundo (e não deixa de ser!), mas esquecem que trata-se de uma FICÇÃO. Ninguém quer um relacionamento desse na vida real, e se for seguida a risca a sua faixa etária que é acima de 18 anos, em que temos a consciência de todas as situações erradas descritas, isso torna-se mais claro ainda. Eu tive problemas com a construção de enredo, admito. Achei algumas falhas aqui e ali que me deixaram desmotivada a querer conhecer mais, no entanto não negamos a química explosiva entre os atores. É um romance hot, e ele entrega o que promete. Ótima crítica!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ana!
      Exatamente. Acredito que as pessoas estão se deixando levar um pouco pela polêmica. Vi alguns casos citando gatilho, mas esse filme chega perto do que foi 50 tons de cinza, sabe e a comoção foi bem menor. Vi pessoas dizendo que no caso da Anastasia ela concordou com tudo aquilo, mas levando em consideração que ela era uma jovem totalmente inexperiente, acho que ela não sabia muito bem com o que estava concordando quando concordou... Enfim.
      Ficção é isso, né? Se fosse para ser real, eu ia escolher viver uma com o Dimitri de Vampire Academy. Hahahaha

      Obrigada pela visita!

      Excluir
  8. Sinceramente a química do casal poderia ter sido mantida e a história ter tido um rumo diferente com certeza, o problema é que se trata de um sequestro e a Laura mostra quase 0% de desespero e interesse em fugir... Realmente pareceu mais um jogo de sedução, o plot poderia ter sido diferente como isso tudo ter sido armado pra no final ela se livrar dele ou whatever, tá mais pra um filme hot e fim, não vi romance também e sinceramente nem teve tempo de acontecer, o que aconteceu foi ela ser, segundo ela mesma disse, uma boneca de luxo e um sexo maravilhoso que ela não tinha com o namorado(onde ficou subentendido que a traição dele foi armada)... Conhecemos mt pouco os personagens, mt pouco do que eles pensavam e etc, acho difícil construir um apego sólido.. 2 meses e ela já estava “apaixonada” após ser sequestrada por um cara obcecado por ela há n sei qts anos? Sendo ficção ou não, tem coisas que precisam fazer um pouco mais de sentido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Siim! Eu juro que fiquei esperando que a aproximação dela fosse apenas uma forma de tentar ganhar a confiança dele para fugir, mas quando vi que ela estava só curtindo, parei de esperar algo mais e só fiquei na parte da química deles mesmo. Não sei se nos livros temos mais detalhes do que se passa na mente deles, mas vou ver se leio para descobrir.

      Obrigada pela visita!

      Excluir
  9. Oi, tudo bem?
    Então, só pela premissa do livro o comportamento da personagem principal já indica síndrome de estocolmo. Não sei se você conhece, mas é um estado psicológico em que uma pessoa em uma situação extrema passa a sentir atração e até mesmo amor pelo seu abusador. E romantizar esse tipo de situação, que acontece na vida real e é um comportamento doentio, não é legal. Além disso, o fato do comportamento do mocinho desse filme ser parecido com o do Christian Grey só reforça que é abusivo, porque a relação em 50 tons de cinza é extremamente tóxica e abusiva. Sinceramente, o fato do cara ser traficante é o menor dos problemas do filme, pra mim. Toda essa relação é errada e romantiza uma situação absurda. E o fato de ser ficção não justifica isso. Até porque a ficção pode gerar muitos gatilhos para pessoas com problemas psicológicos, pessoas que nem sabem que serão afetadas.
    Fico feliz que o filme tenha funcionado para você. Para mim, é um filme irresponsável e que quase faz 50 tons parecer bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria! Tudo bem sim, e você?
      Não temos nenhum psicólogo no blog para falar com propriedade, entretanto a síndrome de Estocolmo por ser um efeito muito simples da psicologia humana, não é bem reconhecida dentro da psiquiatria ao que averiguamos. Kristin Enmark que pode ser descrita como "a mãe" da síndrome não só relata toda a experiência vivida que difere do caso de Laura em vários pontos como escreveu um livro descrevendo a não existência de tal síndrome.
      Existem apenas três características marcantes no caso de Kristin Enmark que são, 1 - a sequestrada vive excesso de ânimos ou tensão a nível traumático (Laura não parece levar seu sequestro de forma traumática), 2 - o sequestrador como representação do alívio para a dor da sequestrada (entre Laura e Massimo vemos apenas muita tensão sexual, mas nada muito além disso. Ele inclusive faz questão de dizer pra ela que costuma ter tudo o que quer, etc, não parecendo ser muito seguro e ela não parece ligar), 3 - a existência de um rapport entre a vítima e sequestrador que são criados com base em conforto (demonstração de inofensividade), conexão (existência de um sentimento em comum entre ambos) e cumplicidade (uma intenção de objetivo em comum). Kristin descreve que em muitos momentos durante o sequestro faz o necessário para sobreviver, porém ao ser acolhida pelo agressor, assim como é comum da natureza humana, ela não guarda rancor de alguém que em meio à intimidade criada, ela reconheceu que não estava fazendo mal algum diretamente a ela. O ser humano é capaz de tolerar inúmeras atrocidades de outrém, desde que não sejam direcionadas ele próprio ou alguém que ele sinta empatia.
      Acho que mesmo de forma torta, 365 só quis trazer a história de uma mulher frustrada romanticamente que resolveu se aventurar dentro da situação em que se encontrava, não sendo um exemplo a ser seguido, mas aparentemente foi essa a intenção da autora ao escrever.
      A história trata-se de uma trilogia, talvez na continuação as coisas tenham uma mudança de rumo.

      Obrigada pela visita! Prezamos muito por ouvir diversas opiniões para que dessa forma seja possível avaliarmos por outros ângulos.

      Excluir
  10. O livro e o filme estão causando grande polêmica pela internet. Eu ainda não me senti atraída nem pela leitura nem pelo filme. Achei interessante ver o seu ponto de vista, como não vi eu não posso falar, mas me parece romantizar uma relação abusiva. A vítima não se ver como vítima acho que pode chocar muita gente e ela querer seduzir o sequestrador é algo muito insano, mas uma pessoa submetida a uma situação como essa deve realmente ficar com seu psicológico abalado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Beatriz!

      olha, vou te falar que eu acho que parece que ela já tinha um certo desequilíbrio sem considerar a situação, sei lá. É tudo muito estranho e intenso fisicamente, mas sem muita profundidade sentimental.
      Bem, a química deles vai nas alturas, acredito que no fundo o foco tenha sido apenas isso mesmo.

      Obrigada pela visita.

      Excluir
  11. Eu gostei muito da suas observações, porém não tenho nenhuma vontade de assistir esse filme ou ler o livro, não é bem a história que me apetece, mas boa análise

    ResponderExcluir
  12. Oii!!

    Vi vários comentários em relação a esse filme e não faço muita questão de ver nem ler o livro.
    Achei o enredo péssimo e o tanto de pano que tão passando para um relacionamento abusivo não tá escrito hahaha... Não vejo nada de normal e aceitável no relacionamento dos dois - e pelos comentários que vi não é necessário nem assistir para ver como é problemático o enredo.
    Acho que o pessoal gostou mesmo é pelo soft porn... Hahahaha. Gostei da sua análise, mas não assistiria.

    Beijinhos,
    Ani
    www.entrechocolatesemusicas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ani!

      Pois é, menina. Eu acho que o filme em si tinha como foco a parte do hot, então que não se trata bem de um relacionamento abusivo, apenas safadeza. Hahahah
      Obrigada pela visita!

      Excluir
  13. Meninas, só aconselho a não ler a trilogia. ALERTA DE SPOILER!!!! Primeiro vc fica com raiva dele pq ele sequestrou e tal, depois fica com raiva dela pq não parece nada sequestrada (kkk), aí a história muda, ele vai mostrando amor, mudando, vão se conhecendo (ele liberta ela dizendo que que vê-la feliz e tal ...) E vc fica: puxa vida, que fofo... Hahaha. Depois tu cria vínculo com esse casal nada convencional (ela tb não é flor que se cheire!!!) E aí vem o último livro e ferra com tudo! Hahahah quando vc simpatiza com o massimo ele vira monstro e ela acaba com outro sequestrador? Como assim isso é final feliz? Muito Loko! Perda de tempo total! Muito ruim o final.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa até agora tô chocada com esse final inacreditável eu li a trilogia em uma semana devorando mesmo pq como você resumiu em cima parece errado depois começa a fazer sentido o casal parece que dara certo no meu do 2 livro quando você ja ta amando e torcendo pela família ela vem e da uma de louca... Depois ele passa a ser o monstro ela é sequestrada por outro que é pintado como preocupado ( mas se realmente fosse teria feito diferente) ela perde o BB por culpa dele e culpa o marido que se arrisca a propeia vida a ir a uma ilha dominada por rivais a salva e no final o máximo é mal e nacho é o príncipe ... Morri com esse final decepcionada...nao aconselho a leitura

      Excluir
    2. Sou viciada em romances e quando ouvi os comentários sobre o filme, comecei logo a ler os livros.O primeiro eu achei estranho, mas tinha potencial. o segundo melhorou e me animou.o terceiro acabou com toda a história. Pela primeira vez, abandonei um livro sem terminar. muito ruim. Protagonista completamente sem noção.Horrível

      Excluir
    3. Poxa, me deu um banho de água fria. Eu estava com a expectativa de que nos livros tivesse um pouco mais de sentido e profundidade em relação aos sentimentos dos personagens, mas tô começando a desanimar para ler. ):

      Excluir
  14. Oi Vanessa, tudo bem?
    Eu não vi esse filme e sendo bem honesta, é possível que eu não assista, mas por fazer parte de um grupo no WhatsApp, as "Pequenas Atrevidas", criado e administrado pela escritora Agatha Santos, acabei vendo alguns trechos desse filme e, honestamente? Essa protagonista definitivamente não se sentia em perigo. Não sei se é impressão minha, mas acho que ela tava era querendo fugir da rotina e decidiu que era uma boa ideia aproveitar um ano inteiro com um mafioso bonitão e meio pancada.
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://www.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renata,

      é exatamente isso. Eu fiquei muito incomodada com a problematização que esse filme se tornou, porque ela simplesmente parecia estar gostando por esse motivo que você falou. A vida com o namorado estava chata, a adrenalina estava boa e foi isso, sem tirar nem pôr. Hahaha
      Obrigada pela visita!

      Excluir
  15. Muitos falam de crítica, quando na verdade gostariam de um pouco dessa aventura e fantasia. Tirando a parte da máfia tudo muito bom... leiam os 3 livros. No terceiro muda tudo.

    ResponderExcluir
  16. Tenho trilogia completa do livro em PDF, traduzido. Me chama no whats 011 933330133 ou e-mail liivroos.pdf@gmail.com – Nicole!

    ResponderExcluir
  17. Bom adorei seus comentários, verdade todos falam muito do fato dele ser traficante é gostar de um sexo mais selvagem, mas ninguém fala sobre a Laura. Para mim não tem nada a ver com a síndrome de Estocolmo, estudei bastante sobre essa doença é nem no livro muito menos no filme mostra a realidade dessa doença. Na minha opinião achei que os dois primeiros livros tem uma sequência bem legal, para quem gosta desse tipo de leitura, porém no terceiro achei que a autora se perdeu, acredito que ela queria dar uma continuidade no livro de qualquer forma e acabou fazendo com que Massimo fosse na verdade o vilão, achei meio contraditório em alguns momentos pois no início ele pede para que Laura o ensine a ser mais delicado com ela e no terceiro livro ele se torna um monstro, e o outro sequestrador de Laura se torna o grande amor da vida dela, não gostei acho que a autora poderia dar um final feliz para Laura e Massimo, nada a ver aparecer o Nacho. Se o filme seguir o que está no terceiro livro tadinho do Massimo será o vilão e não sei seno filme terá tanto sucesso quanto o primeiro.

    ResponderExcluir