[Resenha] Corte de espinhos e rosas - Sarah J. Maas

Olá gente!

            Hoje vamos conversar sobre Corte de espinhos e rosas, mas uma obra prima da maravilhosa Sarah J. Maas.



Sinopse: Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance. Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar um féerico transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.  Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas , a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... Ou Tamlin e seu povo estarão condenados.
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 434



          Achei que depois de Trono de Vidro estava preparada para Corte de espinhos e rosas, ledo engano, Sarah conseguiu me surpreender muito com o início dessa trilogia, um mundo já conhecido (feéricos) e completamente novo e inexplorado, mostrando a face mais cruel e letal dessa raça.
  
         
           Uma característica da autora que me encanta imensamente é sua capacidade de criar personagens femininas maravilhosas, fortes e cheias de nuances. Independente se mocinha ou vilã podem ter certeza que a personagem vai roubar a cena e seu coração para o bem ou para o mal.

            Diferente do que eu esperava se tratando do gênero (fantasia) e por ser um livro de introdução, a narrativa é muito fluída e não fica lenta em momento algum, até mesmo nos momentos de “calmaria” a história caminha em um ritmo envolvente e perfeito, não é corrido nem se arrasta e a escrita da Sarah é impecável nos mínimos detalhes. A autora só reafirmou que é maravilhosa, talentosa e merece o reconhecimento e admiração dos seus fãs.




            Muito se fala de relacionamento abusivo quando se trata dessa trilogia, sinceramente nesse primeiro livro não consegui enxergar isso de forma clara, por mais que eu procurasse. Porém acredito que isso será mais evidente a partir do segundo livro, onde muita coisa irá mudar, dessa vez Sarah foi rápida e já encerrou o primeiro livro prometendo uma sequência electrizante.

            Não preciso dizer que sou apaixonada pela capa ne? É só olhar e se apaixonar, a diagramação é simples, folhas amarelas, com letra e espaçamento confortável, além dos capítulos curtos já característicos da autora. Dessa vez eu li dividido, um pouco no físico e um pouco em e-book e dessa maneira foi possível terminar a leitura antes do previsto já que pude ler fora de casa sem ser obrigada a carregar um peso danado que só vai aumentando conforme seguimos na história, por isso, vou continuar com a leitura meio a meio que deu muito certo.
























            Vale lembrar que essa não é uma fantasia no estilo YA e possui cenas de sexo ou mais para o sensual, além de ter uma dose de violência considerável. Para muitos pode ser um ponto negativo, mas para mim acrescentou bastante a história, pois não são momentos infundados, existe sim um conceito e mostra que esse é de fato uma fantasia mais madura e adulta, o que me agradou demasiado considerando que já não sou mais uma menininha e amo fantasia.

            Feyre é a prova do diferencial da autora, assim como Aelin ela mostra a que veio logo de cara, não faz tipo, é madura e focada, fico imaginando essas duas em um mesmo livro, seria no mínimo impressionante. Quero fazer uma pequena observação, mesmo sendo uma personagem madura, Sarah soube trabalhar as fraquezas da personagem e fazer com que ela crescesse ao longo da história.





             Não vou falar dos personagens masculinos por enquanto, deixem eu explorar melhor a história para ter uma opinião melhor a respeito deles, mas uma coisa eu admito, um pedacinho do meu coração foi para Corte Noturna e eu estou muito ansiosa para encontrar ele novamente.

              É isso, mas um livro de tirar o fôlego, bem fechado que poderia ser facilmente um livro único pois fecha bem bonitinho, mas a Sarah colocou no final uns elementos que fazem o leitor implorar por mais e comigo não foi diferente, sendo assim logo eu volto com a resenha do segundo livro.


Classificação


Beijos e até a próxima!

5 comentários

  1. Desejo muito ler essa obra desde o ano passado, essa história parece ser incrível e o que escreveu acima, só despertou mais minha curiosidade. Espero ler esse ano.

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a escrita da resenha, parabéns, e me interessou muito ler esse livro, usei ele algumas vezes pra criar post no instagram mas nunca li kkkk.

    ResponderExcluir
  3. Ótima indicação! Fiquei curioso por esse causo de homens escravizados por fadas, não me lembro de ter acompanhado algo semelhante. Despertou a curiosidade!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Eu sou completamente apaixonada por esse livro! Amo a escrita da Sarah e suas histórias! A série só melhora a partir desse livro ♥️

    ResponderExcluir
  5. Este e o tipo de livro que eu iria adorar ler. Só a imagem da capa já o torna misteriosa e místico :)

    ResponderExcluir