[Resenha] Filme - O Jogo de Imitação

    Sinopse: "Durante a Segunda Guerra Mundial, o governo britânico monta uma equipe que tem por objetivo quebrar o Enigma, o famoso código que os alemães usam para enviar mensagens aos submarinos. Um de seus integrantes é Alan Turing (Benedict Cumberbatch), um matemático de 27 anos estritamente lógico e focado no trabalho, que tem problemas de relacionamento com praticamente todos à sua volta. Não demora muito para que Turing, apesar de sua intransigência, lidere a equipe. Seu grande projeto é construir uma máquina que permita analisar todas as possibilidades de codificação do Enigma em apenas 18 horas, de forma que os ingleses conheçam as ordens enviadas antes que elas sejam executadas. Entretanto, para que o projeto dê certo, Turing terá que aprender a trabalhar em equipe e tem Joan Clarke como sua grande incentivadora."

Elenco: Benedict Cumberbatch, Keira Knightley,Matthew  Goode.

Direção: Morten Tyldum

Duração: 1h e 54 min.

    O filme "O Jogo de Imitação" trata da vida do considerado "Pai da Computação": Alan Turing. Baseado na vida do matemático e cientista da computação, Alan Turing foi desconsiderado por muito anos da história da computação, já que no final da vida foi submetido à uma castração química por causa da constatação de atos homossexuais, que era considerado crime punível com prisão no Reino Unido, em meados de 1952.

    A narrativa traça o paralelo do momento histórico e a vida de Alan Turing. Ele teve sua genialidade matemática constatada desde muito cedo, e, por consequência da personalidade mais introvertida e hábitos perfeccionistas, sofreu bullying por grande parte da sua vida acadêmica. Já formado em uma das melhores academias da época, decide se oferecer para trabalhar para o governo, que tentava vencer a máquina alemã Enigma, responsável por codificar mensagens alemãs que acabavam por trazer aos inimigos uma superioridade na guerra.

    Sou suspeitíssima para falar de filmes desse gênero, já que para mim é um dos melhores. A união de um momento histórico marcante como a Segunda Guerra, contando até com algumas imagens reais, e a descrição da vida de um personagem real e esquecido ( mas lendário), abre o questionamento do o quanto a mente humana é extremamente complexa e o que ocorreria se usássemos todo o nosso potencial.

    Alan se mostra alguém individualista quando se vê embrenhado no trabalho sigiloso do governo britânico. São estritamente esses aspectos que tornam o personagem mais interessante, já que não tem traços que o definiriam como um mocinho heróico, mas sim um "narcisista", como é definido por Joan Clarke.

    Por fim, a Enigma é um espetáculo a parte. Inúmeros códigos chegam a rede de informações britânica por meio de sinais de rádio, mas todos os dias há a frustração de ter que considerar inúmeras variáveis nos cálculos matemáticos, levando a todos a crer que é impossível vencer essa máquina. Alan pretende dar um passo maior que os demais, considerando seus conhecimentos na área de computação, e decide que era hora de vencer uma máquina com uma oponente a altura: outra máquina.

    Sabe o seu smartphone? Sim, esse mesmo que você está utilizando para ler a minha resenha. Ou talvez seria um computador de mesa ou um notebook? Eu não sei precisar, mas vocês tem tantas possibilidades hoje por que a um tempo atrás pessoas buscaram reunir possibilidade para os seus impasses, e é por isso que Alan Turing hoje é considerado o pai da computação. 

    O computador nasceu como máquinas gigantes usadas para cálculos matemáticos e precisavam de muita energia e hardwares (a parte física do computador) maiores  para trabalhar. Foi somente anos depois que o computador se tornou o nosso PC (Computador Pessoal), tendo diminuído de tamanho e ganhado funcionalidade muito interessantes. 

    Aproveite essa descoberta e dê uma conferida nesse filme e em outras resenhas do nosso blog!  '-'

Nenhum comentário