[Resenha] As Mil Partes do Meu Coração – Colleen Hoover



Sinopse: Para Merit Voss, a cerca branca ao redor da sua casa é a única coisa normal quando o assunto é sua família, peculiar e cheia de segredos. Eles moram em uma antiga igreja, batizada de Dólar Voss. A mãe, curada de um câncer, mora no porão, e o pai e o restante da família, no andar de cima. Isso inclui sua nova esposa, a ex-enfermeira da ex-mulher, o pequeno Moby, fruto desse relacionamento, o irmão mais velho, Utah, e a gêmea idêntica de Merit, Honor. E, como se a casa não tivesse cheia o bastante, ainda chegam o excêntrico Luck e o misterioso Sagan. Mas Merit sente que é o oposto de todos ali. Além de colecionar troféus que não ganhou, Merit também coleciona segredos que sua família insiste em manter. E começa a acreditar que não seria uma grande perda se um dia ela desaparecesse. Mas, antes disso, a garota decide que é hora de revelar todas as verdades e obrigá-los a enfim encarar o que aconteceu. Mas seu plano não sai como o esperado e ela deve decidir se pode dar uma segunda chance não apenas à sua família, mas também a si mesma. As mil partes do meu coração mostra que nunca é tarde para perdoar e que não existe família perfeita, por mais branca que seja a cerca.

Autor(a): Colleen Hoover
Editora: 
Galera Record
Páginas: 336


- Nem todo erro merece uma consequência. Às vezes a única coisa que ele merece é o perdão.


 Para quem acompanha nossas resenhas por aqui, deve estar careca de saber que sou completamente apaixonada pelos livros da Colleen Hoover mesmo que ela continue destroçando meu coração constantemente, e lendo “As mil partes do meu coração” não foi diferente.
 Toda família tem seus problemas, mas na família Voss as coisas costumam ser um pouco mais complicadas com segredos incontável estando sempre a espreita no dia a dia de todos.
 Merit aprendeu desde cedo a guardar esses segredos. Vivendo em uma cidade pequena, muitas coisas já saem do controle pelas escolhas de seu pai e suas consequências, mas tudo sempre pode ser pior. O quanto uma pessoa pode se sentir insignificante em uma casa cheia de pessoas? Além da Merit, na família Voos conhecemos Utah, Honor, Moby, Victoria, além de novos integrantes que aparecem para completar o quadro de moradores no decorrer da história, mas mesmo cercada de pessoas Merit tende a viver em seu próprio mundo, no qual ela acredita verdadeiramente que se desaparecer de uma hora para outra não vai fazer diferença alguma, afinal de contas, em sua visão sua presença já é insignificante então sua ausência seria apenas um detalhe.




 A história trata de um assunto muito delicado: Depressão e outros transtornos psicológicos.
 Mas não apenas disso! Também fala sobre o quão deformada pode ser a visão de uma pessoa em relação ao que está acontecendo. O que é mais fácil? Visualizar e tirar suas próprias conclusão ou questionar se o que parece REALMENTE é?
 Para quem já ouviu falar de depressão e acha que sabe do que se trata, Colleen fez questão de deixar claro que a depressão é um estado que vai além de querer se matar e ficar o tempo inteiro triste. A depressão tem muitas faces e se não for vista de forma séria, muitas vezes pode passar despercebida.


- Gosto de você o bastante para te beijar. Pode acreditar. Mas queria que você pudesse gostar de si mesma tanto quando gosto de você.

 Colleen mais uma vez fez um trabalho magnífico, abordando temas sérios da forma mais leve possível e a construção dos personagens ficou incrível. Nessa história não existe ninguém perfeito, todos são humanos com todas as suas falhas, manias e qualidades os fazendo únicos. 



- Vocês acham que só porque sou adulto tenho de entender de tudo? Acham que não posso cometer erros? - Ele não está gritando, mas certamente não fala com a voz mais baixa do mundo. Passa a anda e de um lado para outro. - Por mais que a gente se esforce, nem sempre as coisas acontecem como planejado.

 Sobre a Colleen só posso dizer uma coisa: Essa mulher é incrível!



Classificação

d5a0c684-fb33-4fe2-bd51-312bd0e8bd1d.jpg (233×88)

10 comentários

  1. Resenha muito boa :) Parece um livro forte e interessante.

    https://oblogdamani.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Você é bem apaixonada por esse livros, gostei da resenha e achei bem interessante, mas para esse ano já tenho minhas lista, mas já deixei anotado, quem sabe eu acabo lendo.

    ResponderExcluir
  3. Olá tudo bem ? Gosto da temática do livro , as imperfeições humanas . Já quero ler.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela resenha
    Interessante o livro, me chamou atenção.

    ResponderExcluir
  5. Oi Vanessa,

    Ainda não li nenhuma obra solo da CoHo, apesar de ter alguns volumes na estante. Esse livro, em particular, parece ser muito bom, daqueles que nos fisgam completamente e nos permite uma boa leitura. Adorei saber que trata desses problemas psicológicos, pois precisamos falar mais a respeito dos mesmos. Sua resenha está maravilhosa, arrasou e me deixou querendo ler!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá. Amei a resenha e acredite, amei a história desse livro. Me deu vontade de ler! É uma ótima dica

    ResponderExcluir
  7. Ah, na sinopse eu já percebi, de cara, que tinha algo muito humano nesse livro. Daí, mo desenrolar de sua resenha, acabei de ficar de queixo caído... Eu, inclusive, já escitei isso aqui: "Gosto de você o bastante para te beijar. Pode acreditar." - Resultado? Casei com a garota em menos de 2 meses!

    ResponderExcluir
  8. oi!
    Nunca tive oportunidade de ler nenhum livro da autora, embora leia sempre boas resenhas sobre os livros dela...

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito da resenha. E já tenho curiosidade sobre a autora. Só a sinopse cativa imenso!

    ResponderExcluir
  10. Apesar de ser resistente a romances, eu gostei desse. Achei ele bem fluido pela sua resenha. Já anotei.

    ResponderExcluir