[Resenha] Primeira Página - Conflito Na Baiana / Jm Costa


Até que ponto um jornalista pode publicar tudo o que descobre?

A principal protagonista dessa leitura é Clara Gabo, uma repórter que está no início de sua carreira, que recebe uma ligação de uma menina de 9 anos relatando a tortura que a sua mãe estava sofrendo no momento da ligação, por policiais militares. Logo em seguida, Clara resolve seguir para a comunidade do Morro da Baiana, local onde ocorre o crime com o objetivo de desvendá-lo.

A história não era mais só minha. O fato já era público.


SINOPSE – O telefone toca na mesa de uma repórter do Diário Carioca. Do outro lado, desespero. Uma garotinha de 9 anos narra, ao vivo, o crime brutal que vê pela janela de casa. A vítima é sua mãe. O diálogo tenso, a partir de então, dita o tom acelerado que acompanha o leitor do primeiro ao último capítulo de “PRIMEIRA PÁGINA – Conflito na Baiana”. Clara Gabo, repórter carioca em início de carreira, não mede esforços para atender ao pedido de ajuda da menina que lhe procurou por telefone. Mesmo que isso signifique contrariar orientações de sua chefia e colocar a própria vida em risco. À medida que avança na reportagem e publica seus desdobramentos na primeira página do jornal, Clara descortina uma série de fatos que podem comprometer a cúpula da segurança no Estado e até mesmo a sua carreira.

Autor: JM Costa
Ano: 2017
Editora: (Independente)
Páginas: 167



Durante a leitura eu pude compartilhar com Clara todas as angustias, medo e preocupação em cada página, com a narrativa em primeira pessoa, o escritor faz com que a gente mergulhe de cabeça no dia a dia de Clara, conhecendo o seu lado profissional e pessoal que, se por lado a protagonista tem a sede de jornalista investigativa, por outro ela reconhece os perigos e os riscos que corre no processo de investigação de um crime como esse.

Corri riscos, fui ameaçada, e por descumprir algumas ordens, acabei duramente repreendida por meus chefes [...] Mas eu queria a verdade. É isso que os repórteres de verdade fazem.


O final da leitura? É óbvio que eu não vou contar. Mas vocês merecem um spoiler:
Dever cumprido! Essa foi a sensação que tive.

Sempre me incomodou a forma precipitada como as pessoas emitem opiniões, mesmo sem conhecimento dos fatos. Fala-se muito de manipulação por meio da mídia, mas a verdade é que a maioria se permite manipular.

Primeira página contém muito mistério, e como toda leitura, nos trás reflexões importantes. Viver num mundo que temos que lidar com a corrupção, violência e injustiça é de uma dificuldade tremenda, o que nos resta é entender o que é bom e o que ruim e fazer a escolha certa.

Curiosidades: Através do link (Clara e Jéssica) é possível ouvir a ligação entre Clara e a menina de 9 anos.

8 comentários

  1. gente, fiquei com um gostinho de quero mais, clichê eu sei, mas não tem outra descrição
    deve ser uma leitura agoniante, caracas fiquei com muita vontade de ler ele.

    ResponderExcluir
  2. Observando a capa desse livro Jamais diria que ele abordasse assuntos tão interessantes que levassem as reflexões citadas por você como corrupção violência e injustiça. Acredito que por isso as resenhas são tão importantes elas nos esclarecem detalhes enriquecedores da leitura.

    ResponderExcluir
  3. Eu achei o enredo do livro muito interessante! Gostei muito de conter essas páginas de mistério também e saber que traz reflexões importantes como toda boa leitura. Achei ótimo as citações que você adicionou à resenha. E como jornalista literária eu gosto muito de personagens que também são jornalistas na trama.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, só a capa já bate aquele arrepio e desespero!
    Não conhecia o livro nem essa história mas depois das suas citações, vou COM CERTEZA ler este livro!

    ResponderExcluir
  5. Que história interessante! Meu sonho era ser jornalista, então quando tem algo envolvido com jornalismo já desperta meu interesse. É realmente um suspense muito bom, já quero saber como se resolve no fim. Vou marcar aqui e com certeza irei ler!

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem? Que enredo mais instigante. Imagino o que Clara deve ter sentido ao receber a ligação. O instinto de repórter com certeza falou mais alto. Ver uma pessoa pedindo ajuda e não conseguir fazer nada num primeiro momento é bem complicado. Por outro lado tem a questão de publicar notícias e "desmascarar" o abuso de poder. Não conhecia mas vale a pena a leitura. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  7. Olá! Que história envolvente nos trouxe! Adorei sua resenha! E que sensação gostosa é a que teve, de dever cumprido! É maravilhoso! Adorei estar por aqui, por esse lindo blog, que tem conteúdos tão bonitos!
    Bjs

    ResponderExcluir