[SÉRIE] AS TELEFONISTAS - NETFLIX

     Olá, como vão? De uns tempos para cá, as séries e filmes espanhóis ganharam grande visibilidade aqui no Brasil, graças a Netflix, que trouxe grandes séries de  sucessos como La Casa de Papel, Elite, O tempo entre Costuras, A Catedral do Mar, bem como excelentes filmes como é o caso do belíssimo Sob a Pele do Lobo. Hoje venho falar um pouco sobre a maravilhosa série: As Telefonistas.

Sinopse:  A companhia telefônica nacional abre sua sede no centro de Madrid e centenas de garotas fazem fila para conseguir um emprego como telefonista no único lugar que representa o progresso e a modernidade para as mulheres da época. Quatro meninas, de origens muito diferentes, começam a trabalhar como operadoras. A partir desse dia, o ciúme, a inveja e a traição passam a se confundir com o desejo de sucesso, amor e amizade.
Título Original: Las Chicas del Cable
Direção:Carlos Sedes
Elenco: Ana Polvorosa, Blanca Suárez. Meggie Civantos, Ana Fernandéz, Concha Velasco, Iria Del Rio, Martiño Rivas, Nico Romero, Sergio Mur, Yon González.

     A série As Telefonistas se passa na Espanha no final década de 1920. Nela, acompanhamos a história de quatro amigas que se conhecem quando são contratadas para trabalhar na Companhia Telefônica Nacional e, através deste emprego e do convívio umas com as outras criam uma bela amizade e encontram apoio para lidar com questões sérias e que até hoje são atuais. 

     As Telefonistas aborda temas como violência doméstica, sufragismo, bissexualidade, crimes, e entre muitos assuntos que nos provocam grandes reflexões.
" Em 1928, as mulheres eram vistas como acessórios para se exibir... objetos incapazes de expressar opiniões ou tomar decisões.A vida não era fácil para ninguém, mas ainda menos para as mulheres." 


     Lídia (Blanca Suaréz) é a protagonista desta série. Dez anos atrás, ela foi para Madrid com seu grande amor, mas, por uma infelicidade, acabam se perdendo e construindo suas vidas separadas. Durante estes dez anos Lídia se virou como pôde, mas ao ajudar uma amiga, acaba se envolvendo em um crime e por conta disso passa a ser chantageada por um policial que a força trabalhar na Companhia Telefônica afim de roubar a mesma. Lá as coisas começam a desandar quando Lídia percebe que o Diretor da empresa e ninguém mais, ninguém mesmo que seu antigo amor.



     Carlota (Ana Fernandéz) é filha de um importante militar, mas ao contrário do desejo de seus pais, Carlota não tem interesse em se casar, tudo o que quer é trabalhar, ser independente e curtir as coisas boas da vida ao lado de seu namorado, um engenheiro que trabalha na Companhia Telefônica. Entretanto, além dos problemas com seus pais, ela terá que enfrentar outra questão que surge ao se envolver com o movimento sufragista: seu interesse pela sua supervisora.

    

     Marga (Nadia de Santiago), por sua vez, é uma inocente garota do interior que em busca de trabalho, acaba se mudando para Madrid e com a ajuda das novas amigas, aprende que a vida é muito mais do que ser submissa e que a lutas que valem a pena serem vencidas principalmente se sua felicidade está envolvida.


     Por último, mas não menos importante, temos Ángeles (Maggie Civantos), uma mulher que embora se destaque na empresa, trabalha apenas para ajudar o marido a complementar as contas da casa. Esta telefonista tem que equilibrar a vida de esposa, dona de casa, mãe e trabalhadora e ainda lidar com a infidelidade de um marido violento.


     Esta é uma série que cutuca feridas. Ela critica uma sociedade machista e retrógrada, onde as mulheres, embora pudessem trabalhar, viviam a margem da sociedade. Ela aborda de uma maneira direta a questão da violência doméstica onde ao contrário do que temos hoje, as mulheres não tinham suporte legal para o divórcio. Mostra também a luta das mulheres por direitos e a repressão que as mesmas sofriam ao questionar a sociedade. Além disso mostra também de uma maneira muito natural a questão do poliamor, algo que até hoje é visto por muitos como um tabu.

     A única coisa que me incomodou um pouco foi a trilha sonora. Apesar das músicas serem lindíssimas, são músicas modernas e atuais. Senti falta de músicas da época, principalmente em momentos de festas e bailes. Por enquanto já terminei a primeira temporada e estou no começo da segunda. A Netflix tem em seu catálogo até a terceira temporada. Mal posso esperar para as reviravoltas desta série maravilhosa!








Um comentário

  1. Esta é uma série que já esta na minha lista, sempre me chamou a atenção e depois desta tua postagem fiquei ainda mais curiosa, acho super incrível ver coisas dessa época e por falar e mostrar infelizmente a realidade da época, ainda mais com mulheres de protagonista.Deve ser um choque de temas, super interessante de se olhar nos dias atuais!

    ResponderExcluir