[Resenha] A Vegetariana


Em seu primeiro livro publicado no Brasil Han Kang, escritora sul coreana de 49 anos, apresenta uma história com a mistura ideal de loucura, realismo e terror. Em A Vegetariana conhecemos Yeonghye, uma mulher que sempre foi normal e nunca teve um ato de revolta até ter um sonho...
Sinopse: “Eu tive um sonho”, diz Yeonghye, e desse sonho de sangue e escuros bosques nasce uma recusa radical: deixar de comer, cozinhar e servir carne. É o primeiro estágio de um desapego em três atos, um caminho muito particular de transcendência destrutiva que parece infectar todos à sua volta. A VEGETARIANA tem sido apontado como um dos livros mais importantes da ficção contemporânea. Uma história sobre rebelião, tabu, violência e erotismo escrita com a clareza atordoante das melhores e mais aterradoras fábulas. A tradução, diretamente do coreano, restitui o estranhamento do original.
Autor: Han Kang
Tradução: Jae Hyung Woo
Prêmio: Man Booker International Prize
Editora: Todavia
Páginas: 176



Imagine essa situação: Você faz parte de um país e/ou uma família em que a alimentação basicamente baseada em carne. Café da manhã: carne; almoço: carne; lanche: carne; jantar: carne. Agora imagine que, de repente, você resolve parar de comer carne e quando te perguntam o motivo a sua resposta é simplesmente: Tive um sonho. Qual você acha que seria a reação da sua família? A família de Yeonghye não gostou muito da ideia e com essa pequena mudança de vida, esse pequeno ato de revolta contra um “sistema” cultural e familiar uma mulher normal, “nem bonita, nem feia, nem alta, nem baixa” trouxe à tona as questões mais profundas da sociedade e de seu convívio familiar.
Em um livro de apenas 176 páginas a autora consegue escrever um romance dividido em três atos em que temos acesso aos acontecimentos e pensamentos de três personagens diretamente ligados à Yeonghye e suas emoções e pensamentos sobre o acontecido, porém não temos acesso à versão da própria Yeonghye sobre o seu comportamento e ocorrido, apenas quando vamos ter conhecimento dos sonhos temos a voz da personagem principal o que nos deixa numa situação incômoda, nos deixa perdidos, desorientados.
‘Eu acredito que os seres humanos deveriam ser plantas.’ Yi Sang
Agora, se você acredita que resolvi ler esse livro pelo simples fato dele estar “Highpado”, o título me chamou a atenção já que há cerca de um ano tive a oportunidade de fazer um curso na Alemanha e devido a esse curso dividi apartamento com uma menina vegana. Durante nosso tempo juntas conversamos sobre vários assuntos e um ponto que acabamos tocando foi sobre sua escolha de vida como vegana, as consequências dessas mudanças na sua vida, no seu dia-a-dia. Quando voltei para o Brasil resolvi fazer algumas mudanças na minha vida e como consequência diminuir meu consumo de carne e derivados. E como essa pequena mudança fez com que a minha família ficasse e polvorosa. Minha vó disse que eu ia definhar, que sem comer carne eu ia adoecer e não teria as vitaminas que meu corpo precisava. Minha mãe resistiu um pouco também, mas aos poucos está gostando da ideia. Agora se eu que apenas reduzi meu consumo consegui causar esse rebu na minha família, pude entender muito bem todo o movimento de estranhamento da família de Yeonghye (claro que minha família não agiu de forma extrema).
Para concluir, se você está disposto a sair totalmente da “caixinha”, conhecer uma cultura completamente diferente através da sua literatura, e ficar remoendo uma história dias depois de ler a última palavra, sinta-se à vontade.
Como complemento para quem já leu ou incentivo para quem quer ler estou colocando aqui em baixo o link de algumas entrevistas da autora que achei interessante e informativo:

Um comentário