[Resenha] Filme - A Caverna (2017)

Com uma premissa bastante interessante, A Caverna é um filme excepcionalmente intrigante.



Sinopse: 
" Um grupo de jovens imprudentes acaba preso numa caverna misteriosa durante a sua exploração. Lá eles não tardam a descobrir que o tempo passa de maneira diferente."

Direção: Ben Foster, Mark Dennis.
Elenco:Andrew Wilson, Cassidy Gifford,Brianne Howey.
Duração: 1h 27 min.
Um professor arqueólogo tem uma certa fascinação pela história de hippies que sumiram durante a década de 70, enquanto buscavam a água que prometiam ser uma espécie de fonte da juventude. Além de lecionar, ele busca encontrar as lacunas dessa história. 

A narrativa se desenrola de modo muito rápido, tanto que o filme possui um pouco mais de uma hora, e logo de cara vemos que metade do enredo já vem desenvolvido. O mentor encontra um carro em meio a uma mata, no qual descobre objetos com ligações com o grupo hippie, além de conseguir ver alguém imóvel dentro de uma caverna funda.

Como arqueólogo, ele decide entrar, mas antes retorna a cidade e comenta com uma dupla de alunos que parecem ser bem próximos do professor. Após afirmar que iria sozinho, parte para o local, entra na caverna e percebe ao adentrar que teve que ultrapassar uma barreira densa de ar, como se fosse uma parede.

A história, de início, é intrigante e meio confusa: por que ele encontrou tão fácil pistas de umas coisas que, em teoria, tinha sido noticiado e teria que ter sido investigado? Se você é do tipo de pessoa que se questiona sobre esse tipo de lacuna, pode acabar se incomodando com esse "furo". Muitas críticas são levantadas em relação a esses furos de roteiro, mas, em pesquisas, podemos ver que o filme apresenta um orçamento apertado e uma história que merecia ser melhor aproveitada. 

Quando os jovens partem para em busca de seu professor, levam dois adolescentes que iriam nessa aventura para poderem tirar umas fotos para uma pesquisa escolar, o que explica a grande quantidade de câmeras que eles possuíam e que são primordiais para a compreensão de como se passa o tempo fora e dentro da caverna. 

Um tanto irresponsáveis, talvez, eles decidem sempre ir mais fundo e a narrativa pôde englobar homens da cavernas e homens futuristas, e sempre que, com muito esforço, saem da caverna, encontram lá fora algo que não podem explicar, pois a paisagem muda de modo avassalador, indicando a mudança do tempo.

Gostaria de uma narrativa mais desenvolvida, já que até os laços entre os protagonistas não são bem desenrolados, mas, como já mencionado, a premissa é interessante e vale a pena ser visto somente pela pulga atrás da orelha que essa história dá! Recomendo!

Um comentário

  1. Oi Deyse!

    Sou do tipo que passa o filme todo tentando desvendar o mistério, e a impressão que tive é de que o filme fica um pouco sem explicação, não sei se entendi errado. Fiquei curiosa para assistir, mas quase na certeza de que vou me frustrar. Hahaha

    Beijos!

    ResponderExcluir