[Resenha] Entre Will & Vodka - Giovana Taveira

Resultado de imagem para Entre Will e vodkaSinopse: Existiam duas coisas que a pequena Stela queria mais que tudo em sua vida. A primeira era crescer. Nada a fascinava tanto quanto o mundo adulto e as coisas legais que poderia fazer nele. A segunda coisa era um pouco complicada: ela queria que Will gostasse dela. Stela seria capaz de dar todos seus brinquedos favoritos para que fosse atendida. E sempre pedia. A cada bolo de aniversário, desejo da meia-noite e estrela cadente, ela só conseguia pensar nisso.  E então aconteceu. O primeiro desejo foi realizado: ela cresceu, e percebeu que a vida adulta não era, nem de longe, o que esperava. E, bom, o segundo desejo foi parcialmente atendido: agora Will ama Stela, mas não essa Stela.
Autora: Giovana Taveira
Páginas: 374





 Pela primeira vez em muito tempo tudo o que eu mais queria era um clichê, mas o que tive partiu meu coração e me deu raiva, mas depois eu aceitei.
Em "Entre Will e Vodka" conhecemos a vida de Stela. Começamos em sua infância com toda a pureza de uma criança que até mesmo brinca de montar um armário para a Barbie, passamos pela adolescência com todos os seus problemas e mudanças e chegamos na vida adulta, bem naquele ponto em que nos tornamos adultos sem ter muita ideia do que isso significa.
— Bem-vinda à vida adulta, Stela, onde somos todos crianças com contas pra pagar, mas ainda perdidos, sem saber para aonde ir.
 Stela conheceu Will na infância, e desde o primeiro dia que começaram a brincar eles eram praticamente inseparáveis. Stela mesmo pequena sabia que o que sentia por Will era algo diferente do que sentia pelos outros amigos, mas tudo isso sem um pingo de maldade. Eles andavam de mãos dadas, compartilhavam segredos e todas essas coisas fofas que fazem você aceitar que tudo vai acabar em um clichê. 


 Will também sabe que com Stela é diferente, mas ele é mais velho e é um menino, então graças a implicância dos amigos ele e Stela acabam se afastando e isso se estende até a vida adulta.
Stela descobre que tem diabete, aprende a conviver com a doença, cresce, vai para a faculdade, arruma um emprego mas nada faz com que ela esqueça Will mesmo sem falar com ele a anos. Aqui eu tenho um comentário a fazer... Eu tinha estranhado todo esse apego dela por Will porque já tinham se passado anos! Veja bem, todo mundo tem amigos ou até mesmo uma paixonite de infância que com a falta de contato e o passar dos anos vai se tornando apenas uma lembrança fofa e nada mais, mas como eu já tinha me conformado logo no início de que eu teria um clichê, então tudo bem.
Stela tem dois irmãos e a autora consegue incluir eles, o irmão de Will, os pais de Stela, seus amigos mais próximos, e todo o restante de forma fluída. Eles não são apenas personagens "figurantes" eles fazem parte da história de forma ativa e gostei bastante disso. Acho até que seria interessante ter um livro para cada um dos personagens visto alguns acontecimentos bombásticos que ocorrem no decorrer da história.
Um certo dia, enquanto Stela organiza um evento para Pedro o irmão de Will e seu irmão Evandro, ela vê seu passado bater na porta. É Will, que mesmo depois de anos e falta de contato consegue mexer com ela como se nunca tivesse ido embora. Tudo lindo, não é mesmo?
 Stela repete várias vezes que Will é sua carta branca. Uma pessoa que chega, bagunça tudo e mesmo que ela vá embora, se quiser voltar você aceita de bom grado. E bem, é isso que ele faz. Aparece, diz tudo o que ela quer ouvir e depois vai embora. E faz isso mais de uma vez e ela aceita.
 Amor Carta Branca é um amor com passe livre na sua vida. Não importa se ele é um idiota ou se você acha melhor se afastar, seguir em frente ou se apaixonar de novo. Uma Carta Branca sempre tem lugar no seu coração. Não importa quanto tempo passe.
 Eu tremi de raiva. Eu xinguei MUITO eu implorei por um final feliz e clichê porque as coisas que Will fez com Stela chegaram a beira da crueldade. Uma pessoa egoísta que a única preocupação é o próprio umbigo. Ele conseguiu destruir uma história que podia ser linda, construída desde a infância. Algo que podia ter se tornando no mínimo uma amizade daquelas inabaláveis, mas não.
 Aqui a autora deu um tiro direto no meu coração, mas eu entendi depois que era algo sobre amor próprio e superação, mas ainda não consigo perdoar Will.
— Will, eu não posso ser a mulher da sua vida porque sou a mulher da minha. É o ponto final que eu precisava.
No momento estou lendo a versão dele da história para ver se diminui minha raiva.
Uma leitura que não é cansativa, tem um pouco de humor, um pouco de romance e que mesmo passando muita raiva, adorei e indico!
 O livro está disponível em ebook e no Instagram da autora ela está com várias novidades sobre a edição física!

Classificação

Nenhum comentário