[Resenha] Casei com uma doida - Jack A. F.


Casei Com Uma DoidaSinopse: Um homem cercado por ensinamentos machistas por toda a vida, tendo como espelho os ensinamentos do pai, sendo ele um homem rude, preconceituoso e que nem de longe, saberia como tratar uma mulher. Sérgio, que sempre levou uma vida desregrada e sem sentimentos em relação às mulheres, se vê de uma hora para outra em uma corda bamba quando é avisado, isso mesmo, avisado de seu próprio casamento com Rebeca. 

Autora: Jack F. A.
Editora: Independente.
Páginas: 75






 Uma leitura leve, rápida e super divertida!
 Em “Casei com uma doida” conhecemos Sérgio. Um rapaz que foi abandonado pela mãe por conta de outro homem e criado por um pai cheio de ideias machistas, motivo pelo qual provavelmente levou a esposa a fugir com outro.
 Criado para ser um homem de negócios, Sérgio simplesmente aceita quando seu pai avisa a ele de seu casamento com Rebeca, filha de seu sócio. Um casamento arranjado para ajudar nos negócios, já que o pai de Rebeca não teve um filho homem para garantir o futuro da empresa, ou seja, é muito machista para um conto só!


 Quando Sérgio é apresentado a Rebeca ele mal imagina o que o aguarda. Rebeca é uma moça recatada, calada e aparentemente tímida. A relação dos dois não mostra-se muito interessante para ele já que a garota usa roupas que escondem seu corpo inteiro, não usa maquiagem e mal abre a boca para dizer uma palavra que seja.
  “Ela é comportada” eles disseram. “Uma garota recatada” eles disseram. “Não vai te dar trabalho” eles disseram. E foi bem isso mesmo até aquele bendito: — Sim. Eu aceito.
 Em determinado ponto do conto somos apresentados a realidade de Rebeca. A garota sempre foi tratada mal pelos pais, as vezes sendo trancada dentro do próprio quarto para que não comesse. Sua mãe controlava tudo em sua vida, chegando ao ponto de escolher as roupas da jovem, decidir o que ele pode ou não dizer, como deve se portar e deixando bem claro que a odeia desde quando ela estava crescendo em seu ventre.

Até que em meu “não aniversário” de vinte anos, eu tive a prova que o problema não era eu. “— Eu odiei cada dia em que você estava dentro de mim destruindo meu corpo! Agora você está aí com essa carinha e esse corpo, enquanto eu estou velha e acabada!”
 Rebeca tem um espírito livre e seus pais nem imaginam que mesmo com tantas restrições, ela sempre deu seu jeito para ter acesso a livros e desenvolveu uma paixão secreta pelo mundo do faz de conta. Com os poucos recursos disponíveis, a garota escreve histórias e sonha em um dia ter seus livros publicados. Além disso, mesmo contra a vontade de seu pai, secretamente ela acompanha tudo o que acontece na empresa que também é sua por direito e tem planos para um futuro em que seja livre para fazer o que tiver vontade.
Quem não conversa consigo mesmo, responde e ainda briga pela divergência de opiniões, não sabe o que é viver.
 Quando o casamento com Sérgio é anunciado, Rebeca mal consegue esperar para se ver livre da megera que é sua mãe. Ela sonha em uma casa de verdade na qual ela possa pedir e receber seus livros pelo correio, por exemplo, entre outras coisas simples que ela nunca pôde experimentar.


 Assim que chega seu casamento, logo após o “Aceito” Sérgio não entende como aquela menina quieta se transformou em outra pessoa. E é a partir daí que começa a diversão.
 Rebeca agora sendo livre para viver, quer experimentar de tudo: Comidas, escolher as próprias roupas, decidir que a mãe não pode entrar em sua casa, ler quantos livros quiser, escrever sempre que quiser e essa sua nova versão assusta bastante Sérgio, que acaba por descobrir que entre todas as mudanças Rebeca também é uma mulher bem ciumenta.
 De um casamento arranjado, Sérgio e Rebeca nem imaginavam que encontrariam um no outro tudo aquilo que nunca tiveram na vida: Amor e companheirismo. Os dois aprendem juntos e é muito legal de ir percebendo os pequenos passos que eles vão dando em direção ao “Felizes para sempre”.
 O conto é rápido, muito engraçado e está disponível em ebook na Amazon!

Classificação

2 comentários

  1. Olaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
    Lá está: a educação é tudo!
    Eu também abandonaria o "Pai" ( um machista não sabe ser Pai) do Sérgio...
    Casamento arranjado?! Ainda existe?! Tudo pelo dinheiro!
    Um machista e uma vítima de violência doméstica? Ninguém merece. ela não merece.
    Ela merece melhor... Não acredito muito que isso possa ter o final feliz que escreveste. Tem tudo para dar errado...
    Beijokitaz




    www.devaneiosdemissl.com

    ResponderExcluir