Às vezes nossos traumas são nossos maiores inimigos. No caso de Norah Hale, eles a impedem de encontrar a verdadeira felicidade.


Sinopse: Norah Hale vive de maneira reservada ao lado de seu filho Theo. Como consequência de um incidente quando tinha apenas dezesseis anos, foi diagnosticada com um transtorno, e assim, tenta passar despercebida no hospital onde trabalha, na cidade de Chicago.
Ela tem uma paciente por quem nutre um carinho bem especial, Sophie, filha do cirurgião plástico, Richard Grayson. Ele é um dos poucos médicos que têm o prazer de encontrar a Princesa Gelada, como a pediatra é conhecida, pelos corredores.

Autora: Tailany Barreto
Editora: Sekhmet
Páginas: 290




     Norah é uma pediatra controladora, prepotente, um tanto grossa e fria, que vive com seu filho Theo de apenas dois anos. Toda essa frieza é devido a sua necessidade de afastar as pessoas, uma vez que possui transtorno de estresse pós traumático desde um acidente que sofreu aos dezesseis anos e do qual carrega sequelas físicas e emocionais.

    Necessitada de ter o controle sobre tudo, Norah vive uma rotina rígida e impõe a mesma ao seu filho de modo que ele, apesar da pouca idade, parece um jovenzinho da época Vitoriana, uma vez que possui uma educação e vocabulário extremamente superior do que o esperado pela pouca idade que possui. Rígida, abomina qualquer relação pessoal entre colegas de trabalho e, devido aos seus traumas, a pediatra afasta todos ao seu redor. preferindo uma vida isolada até mesmo de seus familiares.


    "Você não veio ao mundo para fazer alguém feliz"

     Todavia, ela não esperava conhecer o lindo Doutor Richard Grayson, colega de trabalho e pai de Sophia, sua paciente. Richard desde a primeira vez que a viu se encantou e não mede esforços para conquistar Norah e derrubar suas barreiras.


" - Sempre haverá um obstáculo pelo que vejo. Se não houver, você está aí para criar."


     Apesar das iniciativas de Richard, Norah apresenta atitudes egoístas utilizando de seu transtorno como desculpa para afastar não só ele, mas todos que se dispõe a fazer parte de sua vida, incluindo sua família. O grande amor pelo seu filho é nítido, entretanto a mesma é extremamente insegura e fica frequentemente se boicotando afirmando o quanto é instável e que não faz bem as pessoas com quem convive.

     Ao longo do livro vamos acompanhar a luta de Norah para se reencontrar e se perdoar, tendo como incentivo o amor de Richard e a redescoberta da sua paixão pela pintura, que acaba se tornando uma válvula de escape para seus transtornos e inseguranças.

    Este não é apenas um romance, mas também um livro de superação e redescobertas, em que a protagonista luta com seus próprios demônios afim de salvar a si mesma.





  

Deixe um comentário