Olá gente!

            Estou aqui hoje para contar o que achei do livro “O homem no espelho”.


O Homem No Espelho
Sinopse: Jennifer Mills sempre foi cética quando o assunto se tratava de seres sobrenaturais, vivendo em meio à turbulência de Nova York tudo que ela queria era descobrir porque não sonhava, já que o mundo dos sonhos parecia bem atrativo. Quando uma oportunidade de trabalhar no Museu de História Natural surge em sua vida, ela não mede esforços para ser reconhecida em seu cargo. Mas logo na sua primeira tarefa, coisas estranhas começam a acontecer. Uma coleção de artefatos vindos da Índia precisam ser catalogados. Dentre eles, um espelho negro sem origem certa. Esta é a primeira missão de Jennifer, descobrir a real natureza do misterioso objeto.
Mas a medida que ela se embrenha mais na história do espelho, episódios cada vez mais estranhos vão surgindo em sua vida: Sombras que espreitam os seus caminhos, histórias de deuses hindus envolvendo a criação do espelho e seu primeiro sonho, que é lindo e aterrorizante, tanto quanto a figura que começa a aparecer no espelho. Dispostas a ir contra as crenças de tudo que acreditou na vida, Jennifer descobrirá que sua real natureza, é a resposta para maioria das suas perguntas. Uma mistura de Dark Fantasy, com mitologia hindu e aventuras em um reino perdido, “O Homem no Espelho” promete encantar os leitores com uma história inesquecível e bem ambientada. Se entregue a magia e mergulhe em universo totalmente novo, onde as dimensões não têm limites.

AutoraVivianne Sophie
Editora: Constelação 
Páginas: 260


            A autora nos apresentou nesse livro um pouco do hinduísmo, tema até então inexplorado em minhas leituras. Ler “O homem no espelho” abriu para mim uma porta para essa cultura e me fez pesquisar um pouco sobre e como vocês já sabem, aprendizado nunca é de mais.


            Achei o enredo instigante, me vi curiosa desde o primeiro capitulo para desvendar os ministérios. No começo achei a história um pouco parada, mas a partir de um certo momento a narrativa engrena e a vontade de parar é quase nula.

            Jeniffer ou Nalini (eu prefiro Nalini) é uma personagem bem humana, ela sofre, sente medo, tem rompantes de coragem e muitas outras mudanças ao longo da narrativa. Gostei dessa normalidade da personagem, faz dela algo crível no meio da fantasia.

            Romance? Temos. Mas não fica muito em evidencia e eu não posso falar muito, pois estragaria parte do enredo.

“Encaro meu reflexo no vidro negro e vejo uma sombra atrás de mim. Olho rapidamente para trás assustada e não vejo nada, somente a sala iluminada pelo único lustre aceso. Viro-me para o espelho e a sombra continua lá, ainda mais próxima de mim.”

            Tirando o hinduísmo que é muito interessante, duas coisas me chamaram a atenção. A primeira foi o poder da perda, as coisas realmente acontecem quando a personagem perde alguém, parece que a dor desperta nela uma força enorme que ajuda a seguir e cumprir sua missão. Foi como eu entendi as mortes ao longo da narrativa.

            A segunda coisa não é positiva, eu achei o desfecho muito corrido, algo que eu já imaginava devido as poucas páginas e o caminhar da história, mesmo assim foi um pouquinho decepcionante, fora algumas pontas que ficaram soltas. 


            Gostaria de deixar claro que eu adoro fantasia nacional e “O homem no espelho” foi uma leitura bem aproveitada, mesmo com seus altos e baixos.

            Enfim, espero que vocês se interessem por essa história e se deixem levar para esse mundo mágico e original.

Classificação

Beijos e até a próxima!


.

Deixe um comentário