Olá gente!

Hoje trouxe para vocês a resenha de um dos meus livros amorzinho da vida, se acomodem porque vamos falar de A Seleção.


Resultado de imagem para A seleção capaSinopse: Nem todas as garotas querem ser princesas. America Singer, por exemplo, tem uma vida perfeitamente razoável, e se pudesse mudar alguma coisa nela desejaria ter um pouquinho mais de dinheiro e poder revelar seu namoro secreto.
Um dia, America topa se inscrever na Seleção só para agradar a mãe, certa de que não será sorteada para participar da competição em que o príncipe escolherá sua futura esposa.  Mas é claro que seu nome aparece na lista das Selecionadas, e depois disso sua vida nunca mais será a mesma.







Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 368



Todo mundo tem um gênero preferido (isso é um fato), mas há um tempo eu fiquei muito interessada por distopia e foi assim que cheguei até A Seleção e percebi que independente do gênero escolhido eu gosto mesmo do bom e velho romance clichê e se você é assim como eu, vai amar a história criada pela Kiera Cass.










A Seleção é classificada como distopia e de certa forma eu não concordo com isso, pois faltam alguns elementos para que eu considere o mundo da Kiera como distópico.  A meu ver a autora não construiu um futuro, ela colocou a monarquia como forma de governo absoluto, vivendo em um sistema de castas e para terminar adicionou o sonho de 9 entre 10 meninas de ser uma princesa. Analisando friamente eu pouco vi distopia nessa historia a não ser pelo fato que alguns livros e hábitos do passado foram banidos da sociedade, a época da narrativa e a desigualdade social imposta pelas castas, tirando isso essa história poderia ter sido classificado como um romance. Eu atribuo os quatro livrinhos de classificação a esse detalhe do gênero, pois para mim distopia requer um pouco mais de ação e uma trama política melhor elaborada.

 Illéa é um novo país construído devido à destruição dos EUA, vive em uma monarquia que emprega o sistema de castas (parecido com o que acontece na Índia) e “A Seleção” é um programa televisivo que escolhe a futura Rainha, que deve sair do povo sem se importar com a casta da candidata, ou seja, é a oportunidade de mudar de vida.






O triangulo amoroso principal é composto por América que pertence à casta cinco, Aspen da casta seis e Maxon o príncipe de casta um. América é uma menina lindamente ruiva, ajuda a família em tudo, é uma talentosa musicista que gosta muito do que faz, além disso, tem uma personalidade forte e uma dificuldade notável de filtrar o que fala.  Aspen é um trabalhador que está sempre cuidando da família, pois é o único homem da casa, nunca reclama e sempre coloca os outros acima de si mesmo, isso sem falar que é lindo de morrer (segundo as descrições). Maxon por sua vez é um cara bonito, muito reservado e aparentemente frio, mais isso até que possamos ver a pessoa por trás do príncipe, ao longo da narrativa ele se mostra generoso, tímido e apaixonante. Confesso que é muito difícil não ficar inclinada pelo príncipe, já que Aspen faz uma cagada logo no começo, mesmo assim fiquei dividida.

Como vocês devem ter reparado a narrativa conta com o clichê triangulo amoroso, mas de alguma forma isso torna o livro mais interessante, pois geralmente optamos de cara por um personagem, só que nesse livro fica quase impossível não ficar em duvida, dessa forma é fácil entender a protagonista que fica a maior parte do tempo dividida entre a ideia de amor verdadeiro que sente por Aspen, enquanto sem perceber vai se apaixonando por um príncipe que ela pré-julgou muito mal. Para dar uma movimentada nessa historia temos as meninas que brigam pelo coração (ou coroa) do príncipe, algumas você gosta, outras você ignora e uma em especial você odeia, mais no final das contas não tem como não torcer pela América a menina é perfeita para o cargo, mesmo aqueles que torcem pelo Aspen devem ficar mexidos.


Esse livro é ótimo para quem curte ROMANCE e tem quotes maravilhosos, eu quase pirei por ter que escolher apenas dois para por na resenha, sério é um melhor que o outro, por isso prometo postar mais deles nas nossas redes sociais, espero que acompanhem a gente para não perder nenhum.


            A Seleção é o primeiro livro de uma trilogia que virou uma série composta de 5 livros, eu gostei bastante desse primeiro, então logo, logo trago para vocês as resenhas de “A Elite” e “ A Escolha” que eu já li e só estou esperando uma oportunidade para resenhar. Sendo assim continuem acompanhando o blog e as redes sociais para não perderem nada.

Classificação


.

Beijos e até a próxima!


Deixe um comentário