E se você se separasse da pessoa que mais ama na vida?

O Holocausto foi sem dúvida um dos momentos mais desumano existentes no mundo. Um lugar que ninguém sabia se iria viver um segundo depois, que as pessoas eram exterminadas vivas, eram torturadas e mortas. Um período de fome, frio, dor e tristeza, muita tristeza para os Judeus.

Os protagonistas dessa resenha é Lenka e Josef, dois jovens apaixonados que se casam, mas logo em seguida são separados pela Guerra.



“Foi naqueles primeiros olhares, naquelas primeiras conversas, que senti não a incerteza do amor entre nós, mas, ao contrário, sua completa inevitabilidade.”


Sinopse: Separados pela guerra, ligados pela memória: uma história envolvente e instigante no rastro da Segunda Guerra Mundial. Na Praga do pré-guerra, Lenka, uma jovem estudante de arte, apaixona-se por Josef, um médico recém-formado. Eles vivem cheios de ideais e de sonhos para o futuro, mas também são judeus e muito ligados à família. Casam-se, mas, pouco tempo depois, como tantas outras famílias, são separados pela guerra. As escolhas impostas pelo destino os afastam, mas deixam marcas permanentes: o caos e as informações truncadas dos tempos de guerra os levam a crer que o outro morre. Na América, Josef torna-se um obstetra bem-sucedido e constrói uma família, apesar de nunca esquecer a mulher que acredita ter morrido. No gueto de Terezín, Lenka sobrevive graças aos seus dotes artísticos e à memória de um marido que julgava nunca voltar a ver. Apesar de todas as provações e dos infortúnios, mantém a chama daquele primeiro amor acesa, guardada em seu coração. Da glamorosa vida em Praga antes da ocupação aos horrores da Europa nazista, Um Amor Perdido explora o poder do primeiro amor, a resiliência do espírito humano e a eterna capacidade de recordar.


Autor: Alyson Richman
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 335


Eu já li muitos livros sobre holocaustos, e todos me causaram uma dor no peito, e não foi diferente com “Um Amor perdido”





Josef e Lenka: Ele narrando a história após a guerra e ela narrando a história durante a Guerra. Dois jovens (E Judeus) buscando a realização dos seus sonhos, ela as artes plásticas e ele a medicina. Se apaixonam verdadeiramente e tem suas vidas separadas por causa da Guerra que atingiu os Judeus de forma cruel.

Após a decisão de se casarem, Josef decide começar uma nova vida com Lenka fora daquele país com o objetivo de fugir da Guerra, mas o destino transforma esses planos em tortura, dor e sofrimento. Josef consegue escapar, mas Lenka acaba ficando e vivendo os piores de todos os seus pesadelos. Devido à ausência de notícias do seu amor, a jovem se dar por convencida que o mesmo se encontra morto. E Josef, também recebe a notícia da morte da esposa, que mesmo sofrendo com a suposta perda, forma uma nova família.

Através da sua habilidade e amor pelas Artes, Lenka não foi mandada diretamente ao Campo de extermínio de Auschwitz, na Polônia, ela e sua família foram transferidos para um campo de concentração em Terezin, na República Tcheca. Nesse lugar existiram mortes, precariedade e sofrimentos, era uma espécie de campo de passagem para os outros campos nazistas mais cruéis, era um local que estavam os Judeus classificados como “importantes” pelos Nazistas (Artistas, Políticos, Cientistas, ...). Lenka então foi chamada a fazer um trabalho na área em que escolheu como profissão, mas claro que o trabalho era para favorecer os nazistas, foram inúmeras horas fazendo cartões postais e mapas para os planos de Guerra.
  

“Dormi, dormi e dormi, como se estivesse deslizando para minha própria morte. Não tive sonhos. Tudo era negro. Não havia imagens, memórias ou pensamentos sobre o futuro.”


A narrativa é repleta de detalhes, às vezes um pouco cansativo, mas completamente necessários para que tenhamos uma sensação de estar presente naquele determinado dia e local. Inspirado em fatos reais, o Romance fala sobre perdas, separações, encorajamento e um amor profundo entre um casal que mesmo separados, não houve um dia em que não se lembrassem um do outro, e que após anos se reencontram para dar continuidade a esse amor.

Aprender com uma leitura sempre é o meu objetivo principal, e cá entre nós, isso sempre acontece. Essa não foi a primeira narração sobre o período da Segunda Guerra Mundial que eu conheço, e com certeza não será a última (Um agradecimento especial ao autor do livro Alyson Richman). Mais uma vez eu refleti sobre o sofrimento que os Judeus passaram, mais uma vez me convenci que etnia ou qualquer outro tipo de diferença não nos faz ser melhor ou pior que ninguém, e que acima de tudo: O amor sempre vence!


Curiosidade: Em 2012, Um amor perdido foi vencedor do prêmio Long Island Reads, nomeado como um dos melhores livros do ano. É bem possível que o livro possa ser adaptado para o cinema.

Classificação






5 Comentários

  1. Olá, tudo bem?

    Que livro instigante, essa história parece fantástica, mas eu ando correndo de dramas e esse tem uma cara de fazer o leitor chorar piscinas. Minha sensibilidade no momento não me deixa ler dramas, eu entro na dor e no sofrimento dos personagens, mas confesso que com sua resenha e paixão de explicar a história, eu fiquei curiosa sobre o final.

    ResponderExcluir
  2. Que dica boa! Adoro livros com fundo de guerras. Esse tipo de livro que nos faz chorar e pensar a vida é uma beleza só, amei a dica, adorei mesmo! Coloquei na TBR já!!

    ResponderExcluir
  3. Só fiquei com receio desses detalhes que você achou necessários, mas cansativos. Mas sou louca por narrativas desse período, sim, foi doloroso demais, mas acho muito importante que saibamos bem o que aconteceu para que nunca se repita. Nunca li nada sobre esse campo na República Tcheca, então gostaria de ler o livro e saber mais sobre ele.

    ResponderExcluir
  4. Olá.

    Adorei sua resenha! Tenho esse livro na estante e me motivou ainda mais em lê-lo. Adoro livros barrados na guerra e isso só mostra a realidade de anos atrás. Acredito mesmo que muitos detalhes torne a leitura cansativa, mas as vezes traz uma enorme diferença na narrativa.

    Beijos,
    www.psamoleitura.com

    ResponderExcluir
  5. Adoro livros que abordam essa época e como você sempre fico com o coração apertado cada vez que leio uma nova história, amei ler a sua resenha, conhecer um pouco dessa história e até o inclui na minha lista de leitura!

    ResponderExcluir