Olá devoradores!!!

Vocês acharam que não iriamos contar para vocês como foi a Bienal de São Paulo? O post demorou um pouquinho para sair, mas aqui está, continuem lendo para saber como foi!






Nossa viagem começou um pouquinho antes com uma parada mais que especial em Campos do Jordão, resolvemos tirar uns dias com nosso maridos para conhecer a aproveitar o friozinho da serra, logo voltamos para contar um pouco de como foi.



Chegamos a São Paulo e resolvemos conhecer a Liberdade, só dava tempo para conhecer um lugar e esse foi o escolhido por diversos motivos. Infelizmente a expectativa estava alta e não foi tudo que esperávamos, mas o passeio valeu a pena, pois apaixonadas por doramas como somos aproveitamos para comprar umas coisinhas no mercado.


A nossa estadia em São Paulo foi regada de junkfood (besteiras) e um dorama viciante (mas isso é assunto para outro post)

Nosso primeiro dia de Bienal foi bem legal e tranquilo, mesmo com os passeios escolares não estava lotado e foi possível tirar fotos nos painéis, visitar autores nos estandes, autografar livros e explorar bastante. Esse foi de fato um dia BEM produtivo e de muitas compras, o planejamento era comprar apenas um livro (Yza) e acabou que no final foram 15 em toda Bienal, de qualquer forma não existe espaço para arrependimentos, pois esses espaços foram preenchidos por muitos abraços e diversão.























         Ainda no primeiro dia assistimos a duas palestras bem legais, uma foi a palestra Sesc – uma biografia da água que descobrimos por um acaso total e acabou sendo bem legal e a outra foi do evento principal chamada Lugar de mulher é onde ela quiser, que abordou temas sobre auto estima, corpo, superação, aceitação e evolução pessoal. Estava ansiosa por essa palestra e fiquei muito contente com o conteúdo e abordagem do tema, foi leve, bem papo entre amigas, repleto de conselhos que eu pretendo me policiar para seguir.





No segundo dia decidimos chegar um pouco mais tarde na Bienal devido ao evento de Harry Potter que começava um pouco tarde. Acabou que esse dia foi menos produtivo, já que além de chegarmos mais tarde descobrimos que iriamos precisar esperar na fila do evento (que estava enorme) e nessa espera perdemos bastante tempo. Valeu cada segundo, pois é maravilhoso está com pessoas que compartilham da mesma paixão que você, escutar relatos de youtubers influentes do meio, perceber que a magia está mais viva que nunca, realmente J.K Rowling transformou o mundo de muitos.





























            Dia 10 também foi dia de pegar autógrafo do autor Soman Chainani que escreveu a escola do bem e do mal, teve bate papo antes e foi muito legal, o autor é uma simpatia, sorridente e atencioso (nota de curiosidade: esbarramos com ele andando pela bienal no dia seguinte). Também vimos bem espremidinhas e de fora da arena o bate papo da Victoria Aveyard, infelizmente não conseguimos a senha para o autógrafo, mas valeu de qualquer maneira.


Vale lembrar que o bate-papo da Victoria foi quase impossível de se ouvir de tanta histeria que teve. Toda vez que ela pegava no microfone eram gritos e mais gritos. 

Chegamos ao último dia que “foi louco”, tudo aconteceu. Primeiro tínhamos que levar nossas coisas para Bienal já que íamos de lá direto para a Rodoviária, foi ai que percebemos que: 1 livro + 1 livro + um monte de livros = muito peso, sorte que conseguimos um guarda volumes para deixar tudo (fica aqui o agradecimento ao pessoal que cuidava de lá, muito atenciosos, pacientes e prestativos). A fila para entrar estava gigantesca, o lugar estava mega lotado, para comer demorou o dobro de tempo que os outros dias, filas? Essas eram pavorosas, não dava para entrar nos estandes, tem noção de quão cheio é isso?


            O que salvou esse dia foi o autógrafo “suado” do Cortella, se liguem no drama, não conseguimos senha para ele (não por falta de tentativa), mas cami maravilhosa descobriu que dependendo de como estivesse o dia rolava de entrar mesmo sem senha, ficamos esperando um tempão até que aconteceu de liberarem para algumas pessoas, cami correu para comprar o livro e eu (Yza) consegui meu autografo e minha foto. Ele foi bem simpático, mas não dispúnhamos de muito tempo e não deu par dizer o quanto eu gosto do trabalho dele (talvez eu tenha ficado um pouquinho nervosa e quase não saiu nada).


Nesse mesmo dia, eu, Cami, estava na expectativa para a sessão de autógrafos do David Levithan, mas devido ao dia dos pais tivemos que antecipar a nossa volta, ou seja, não consegui comparecer a sessão dele na Bienal, mas fui à sessão do dia 13 que aconteceu Rio de Janeiro.

 David foi um amooor de pessoa, atendeu a todos com muito carinho e DE PÉ. Eu estava tão animada para conhecer esse homem que quando cheguei lá minha "bilinguisse" foi embora! KKKKKKK Quase não consegui falar NADA. Ele elogiou a escolha do meu livro para autógrafo (levei além de Todo Dia, A primeira vista), disse que era um dos preferidos dele, mas que até o momento ninguém tinha levado ele para autografar, somente eu. Eu disse que também gostava muito de A primeira vista e agradeci por ele ter criado Todo Dia. FIM! Só isso que eu consegui falar.


Acham que acabou? Que nada, para coroar o dia quase perdemos o ônibus de volta para casa, o transito estava um caos. Saímos da Bienal com 2 horas de antecedência e chegamos 10 minutos antes do ônibus sair, realmente foi louco esse dia.

Depois dessa pequena temporada em São Paulo, passamos a valorizar mais os nossos PEQUENOS engarrafamentos, mas a experiência valeu muito a pena e por mais cansativo que seja estamos contando os dias para Bienal do Rio 2019.



Beijos e até a próxima!! 









                                                                &





7 Comentários

  1. Oie, tudo bem? Quando vejo essas fotos do pessoal nos paineis da bienal me bate uma invejinha danada, fui no ultimo dia e não deu pra fazer nada, estava lotado demais. Em toda caso, valeu a experiência acima de tudo, e a aventura. A questão do peso na volta é sempre um problema, mas é por um bom motivo hahaha Eu adorei passear pela liberdade, comprei muita coisa de papelaria!

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Meninasssss, que fotos mais lindas! A Bienal é, sem dúvidas, uma experiência incrivelmente maravilhosa e única. Amei saber o que fizeram por lá!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Esse ano o evento parece ter sido bem legal pelo que eu tenho acompanhado nos blogs, a viagem de vocês foi bem divertida também pelo jeito kkkkk infelizmente eu não pude ir, mas foi legal saber um pouco do que vocês viram por lá.

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Adorei ver a vossa visita à Bienal! Fiquei a conhecer algumas coisas novas! Ainda não tinha visto alguns lugares…

    Fiquei especialmente apaixonado pela parte do Trono de Vidro! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, meninas! Bienal é mesmo uma loucura - já tive meus momentos rsrs, adorei saber da experiência de vocês e que bom que se divertiram!
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  6. Izaaaa, arrasou no autógrafo do Cortella . Eu também amo o trabalho dele!!!
    Vocês conseguiram aproveitas bastante a Bienal, né? Adorei ver como foi para vocês, quando as edições são em SP eu nunca consigo ir e fico babando nas postagens.

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem Camila?

    Parabéns pela participação do blog na Bienal, a Saga foi representada pelo amigo e colaborador Jeffa Koontz e ele adorou a experiência. Fico contente que gostaram e se divertiram na bienal.
    Abraço!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...