Oi gente!


A resenha de hoje vai ser de um livro bastante emocionante e desesperador para quem lê, eu particularmente, fiquei aflita até o final do livro.

Teve horas que eu tive vontade de tacar o livro na parede? Sim!
Horas que quis tacar fogo? Com certeza!
Horas que tive vontade de por numa caixinha de vidro e admira-lo por ser maravilhoso? DE FATO

Quem lê esse livro tem que ter coração forte porque é cada ataque cardíaco que vou te falar hein, é um misto de sentimentos, um amor e ódio pelo livro que até agora não decidi se amo ou odeio ele, confesso.


Esse livro se chama “Em outra vida, talvez?” da autora Taylor Jenkins Reid.

Em Outra Vida, Talvez?Sinopse: Hannah está perdida. Aos 29 anos, ainda não decidiu que rumo dar à sua vida. Depois de uma decepção amorosa, ela volta para Los Angeles, sua cidade natal, pois acha que, com o apoio de Gabby, sua melhor amiga, finalmente vai conseguir colocar a vida nos trilhos. Para comemorar a mudança, nada melhor do que reunir velhos amigos num bar. E lá Hannah reencontra Ethan, seu ex-namorado da adolescência. No fim da noite, tanto ele quanto Gabby lhe oferecem carona. Será que é melhor ir embora com a amiga? Ou ficar até mais tarde com Ethan e aproveitar o restante da noite? Em realidades alternativas, Hannah vive as duas decisões. E, no desenrolar desses universos paralelos, sua vida segue rumos completamente diferentes. Será que tudo o que vivemos está predestinado a acontecer? O quanto disso é apenas sorte? E, o mais importante: será que almas gêmeas realmente existem? Hannah acredita que sim. E, nos dois mundos, ela acha que encontrou a sua.


Autora: Taylor Jenkins Reid
Editora: Record
Páginas: 322




A protagonista desse livro se chama Hannah Marie Martin, ela tem 29 anos e está se mudando para Los Angeles – Califórnia , após 8 mudanças loucas de estados, ela decidiu voltar para o lugar que nasceu, Los Angeles. Hannah morou em Boston, Washington, Portland no Oregon, Seattle, Austin no Texas e depois Nova York, até decidir que voltaria para sua cidade natal, ela se muda tanto pois diz que tem sensação de que não pertence a nenhum lugar.


Ela foi morar com sua amiga Gabby Hudson e com seu Marido Mark, ela já havia morado com Gabby quando mais jovem. Os pais de Hannah se mudaram para Londres – Inglaterra quando ela tinha 16 anos, pois sua irmã Sarah foi aceita na escola de Ballet e todos resolveram se mudar para lá, exceto Hannah que preferiu ficar com os Hudsons e terminar o ensino médio, depois foi para a faculdade em Boston e começou a procurar seu lugar no mundo.

No segundo ano do ensino médio conheceu o “amor da sua vida” Ethan, cujo qual perdeu sua virgindade e se apaixonou completamente. Quando escolheram faculdades diferentes terminaram e seguiram suas vidas.


12 horas depois da chegada de Hannah a Los Angeles, Ethan ligou para ela dizendo que precisava vê-la, pois não aguentava de saudades. Hannah disse que Gabby tinha organizado um encontro com os amigos do ensino médio e que Ethan estava oficialmente convidado. Ela passou o horário pra ele e ele logo de cara confirmou presença. Seria a primeira vez que eles se veriam depois de anos e anos, ambos estavam ansiosos e nervosos.

Logo a noite chegou e Hannah estava indecisa e aflita, Gabby a tranquilizou e foram para boate. Muitos de seus amigos já estavam lá, só faltava Ethan.

Tempo vai e vem e ele chegou, os olhares foram inevitáveis. Eles dançaram, se divertiram e o final da noite chegou, Gabby e Mark precisavam ir embora pois Mark tinha uma entrevista de trabalho logo cedo, então foram chamar Hannah que se encontrava na porta da boate com Ethan.

Gabby explicou a situação a amiga, que precisava ir cedo e tudo mais, Ethan logo se ofereceu dizendo que se Hannah quisesse ficar um pouco mais ele a levaria em casa a hora que quisesse.

O que você acha, Hannah Martin aceitou o pedido de Ethan ou foi embora com  Gabby?

E é ai que a história para. O livro se divide em “Hannah foi com Gabby” e “Hannah foi com Ethan”. Ele varia de capítulo para capítulo com as decisões que Hannah poderia ter tomado e suas consequências.

O que você acha? Hannah foi ou ficou?

Aposto que você que acabou de ler essa resenha está “AI MEU DEUS, COMO ASSIM?”. Pois é....fiquei assim também conforme fui lendo as decisões da personagem e os rumos que iam tomando. Tive vontade de tacar o livro e gritar “POR QUE MEU DEUS?” diversas vezes, acalme-se caso tenha essas sensações. Mas também não estranhe caso se apaixone loucamente por ele, pois estou um misto disso.

O que mais amei nele foram os detalhes e a criatividade que a escritora teve com o rumo que tudo ia tomar. Foram tão emocionantes que eu nem notei as 318 páginas que esse livro tem, super doido.

O que detestei de verdade foi o fato da personagem ser tão... como eu posso dizer... EU.

Hannah faz diversas escolhas erradas em sua vida, e como tudo na vida tem consequências, ela teve as suas, e foram absurdas de grandes, o que me fez surtar boa parte do livro.

Outra coisa que não gostei foi o final... Estava torcendo por outros fatores, outras situações e fiquei DE – VAS – TA –DA com o final gente...destruída REAL OFICIAL!!!

Leiam esse livro e surtem nos comentários comigo, quero vê se fui só eu que surtei galera.

Enfim, chegamos ao fim de mais uma resenha, espero que tenham gostado e que leiam e surtem comigo, se emocionem com a história da determinada Hannah Martin.


Até a próxima!!!!


Classificação



Deixe um comentário